Partidos populares continuarão no governo após 2018, garante Lula

Partidos populares continuarão no governo após 2018, garante Lula
4 de novembro de 2015 Assessoria de Imprensa

Em almoço com a bancada do PCdoB no Congresso, o ex-presidente falou da relação histórica com os comunistas e defendeu que PT e PCdoB se aproximem ainda mais no processo de enfrentamento da crise política e econômica do Brasil

 

 

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva garantiu que os partidos democráticos e populares continuarão no governo após 2018. A declaração foi dada em almoço com a bancada do PCdoB no Congresso, nesta quinta-feira (29).

“Para aqueles que não gostam de nós, vão ter de conviver a partir de 2018 durante mais quatro anos com os partidos democráticos e populares na governança deste País”, afirmou.

Lula avaliou que o momento atual não é fácil para o PT e o PCdoB. Segundo ele, há um “massacre em cima do PT”.

“Possivelmente, é o momento o mais difícil da história do PCdoB e do PT, porque não estamos enfrentando um partido de oposição comum. Estamos enfrentando um massacre de uma imprensa conservadora”, apontou.

Para ele, a imprensa parece não concordar com a evolução e as conquistas do povo mais pobre deste País. “Não concordam com o pobre nas universidades e com programas que elevaram a qualidade de vida das pessoas, como o Minha Casa Minha Vida. Tem gente que se incomoda com os pobres quando eles têm ascensão”, ressaltou.

Lula destacou que o Partido dos Trabalhadores agradece pelo comportamento da Bancada do PCdoB no Congresso e destacou a atuação da deputada federal Jandira Feghali (PCdoB-RJ), “que tem sido motivo de orgulho para quem é da esquerda neste País”.

“Mostra que tem gente com caráter, que não é oportunista e não rema apenas do lado que a maré está favorável. Isso o PCdoB tem feito historicamente. Nos últimos 40 anos, não posso reclamar da relação com o PCdoB. Tem sido extraordinária desde a primeira campanha em 1989 com João Amazonas, depois com Renato Rabelo e agora com Luciana Santos”, disse.

Para o ex-presidente, os dois partidos precisam se reunir mais e debater estratégias comuns de atuação. “O objetivo é que nos aproximemos cada vez mais”, afirmou.

Lula parabenizou o PCdoB por ter uma mulher na presidência. “Não é pouca coisa um partido comunista ter uma mulher na presidência. Isso tudo ajuda na nossa relação”, destacou.

À frente da Bancada do partido na Câmara, a deputada Jandira Feghali (RJ) considerou positiva a troca de opiniões sobre o momento político.

“Queremos ter estratégias comuns para enfrentar as dificuldades econômicas e políticas para que possamos ultrapassar este processo. Por trás do governo Dilma Rousseff, há um projeto construído há muitos anos. Esse projeto precisa ser preservado para que cada vez mais avance em direção ao povo”, afirmou.

Já para a presidente nacional do PCdoB, deputada Luciana Santos (PE), o encontro com o principal líder político de massas no País foi “extraordinário”.

“O legado político de Lula está marcado na história política do Brasil. A oposição quer reescrever a história, e nós não podemos permitir isso. Precisamos reafirmar a democracia e a vontade popular nas urnas. O Lula é porta-voz deste sentimento de que o país mudou para melhor. Só as forças consequentes de esquerda têm essa compreensão. Não vai ter golpe. Vamos enfrentar isso com a força do povo”, destacou.

“Saio daqui deste almoço mais fortalecido de cabeça e alma”, finalizou Lula.

Da Redação da Agência PT de Notícias, com informações do “Portal Vermelho”

0 Comentários

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*